Atenção: Fármacos contraindicados para gatos - Blog Bicho Extraordinário - Tudo Sobre Animais de Estimação

Atenção: Fármacos contraindicados para gatos

Atenção: Fármacos contraindicados para gatos

Apesar de todas as informações e alertas disponíveis, é bastante comum verificarmos donos de gatos administrarem, sem nenhuma orientação médica, medicamentos para seus animais.


Motivados pela vontade de resolver o problema, ou mesmo devido à impossibilidade de levar o paciente a um médico veterinário, o proprietário acaba cometendo um grande equívoco. Desta maneira, tal ação pode gerar consequências graves.


Ao ingerir o medicamento o animal terá reações variadas por conta da rejeição de seu organismo, além de demorar muito tempo para eliminar as substâncias, causando uma intoxicação.


Sendo assim, alguns medicamentos, muito comuns no uso humano, podem ser bastante nocivos aos felinos, como por exemplo, o Paracetamol.


O analgésico e antitérmico nos gatos, em doses específicas, pode trazer uma oxidação da hemoglobina, insuficiência hepática, dentre outros, com o animal apresentando vômitos, língua e mucosas roxeadas.


Outro exemplo é o Ibuprofeno. O anti-inflamatório, antitérmico ou analgésico de uso humano, nestes animais, pode comprometer o intestino, causando hemorragias e gastrites graves, além de mudanças no sistema nervoso.


E por fim, o ácido acetilsalicílico, conhecido como aspirina, nos gatos pode causar insuficiência hepática, dentre outros problemas.


Estes são apenas alguns exemplos, sendo que há uma lista extensa de medicamentos nocivos e contraindicados a estes animais.


Caso o proprietário venha a administrar algum destes fármacos, sobretudo em dosagens maiores, jamais é recomendado que ele mesmo tente reverter o problema, forçando por exemplo o vômito do animal.


Levar o felino imediatamente a um médico veterinário é o caminho mais seguro e sensato, e irá garantir a vida do seu bichinho de estimação.


Tais situações são muito recorrentes, por isso o profissional que prestar o socorro deve estar preparado, com amplo conhecimento prático e teórico de todas as técnicas e procedimentos que podem ser aplicados para a estabilização do paciente em situação clínica emergencial.


Fonte: Equipe Revista Veterinária


Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE